sexta-feira, agosto 24, 2007

O custo de vida em Londres e a Lavanderia

Londres é uma cidade cara. Nada de novo até aí. É uma das mais caras do mundo faz tempo.
Mas você consegue economizar uma nota depois que começa a pegar uns macetes.
Claro, sempre que você vai num lugar novo, exibindo sua cara de turista por lá, acaba pagando mais do que deveria. Isso vale para qualquer lugar. Mas em Londres a diferença entre o que você pode economizar e o que você acaba pagando inadvertidamente é enorme.
E nem entro na questão das promoções, que realmente são boas. Se você espera o momento certo, acaba pagando muitas vezes algo como 80 por cento mais barato! Sim, isso mesmo, descontos realmente descontados! É só esperar passar a novidade ou o lançamento.
Eu pago uma fortuna pelo meu flat, mas em comparação com o que se cobra por aí, até que dei sorte. Mas poderia morar de graça, no esquema squat, se tivesse paciência e espírito aventureiro, como uma amiga fez aqui, por um ano. Tudo perfeitamente legal - você e um pessoal podem entrar em qualquer propriedade que esteja vazia e ficar por lá, no verdadeiro espírito comunidade flower power ou London Calling.
A mobília? Você encontra tudo na rua. Os ingleses são muito consumistas e tão logo compram um novo sofá ou uma nova tv de plasma último modelo que você não tem como não comprar ou estará assinando seu atestado de pária, eles largam o eletrodoméstico antigo na rua. E você só precisa carregar o dito cujo para o seu lar.
Roupa? É só ir numa loja de caridade de bairro chique (tipo Oxfam). Eles vendem livros, utensílios domésticos e roupas de segunda mão. Mas nada de roupa de defunto em brechó de hospital. Nessas lojas você encontra vestido Versace, sapato Calvin Klein, bolsa Donna Karan, terno Armani, que algum ricaço usou meia dúzia de vezes e se desfez - num arroubo de bons sentimentos / bom karma, ou simplesmente pra renovar o guarda-roupa com a nova coleção (lembre-se: aqui não é essa coisa pouca de duas coleções como em terras tupi; aqui tem primavera, verão, outono e inverno bem diferenciadas). E todas essas roupas por algumas poucas libras. Mesmo em lojas normais você encontra roupa boa e bonita por muito pouco.
Comida. Uma refeição em um restaurante decente (nada de coisa chique) encheria sua geladeira com comida para uma semana (coisa de 20 libras). Isso porque supermercado é barato - alguns produtos custam menos ainda que no Brasil, mesmo em termos absolutos. E se você não for muito exigente, pode sempre comprar as comidas nas promoções, que mudam toda semana - o que é bom, porque você vai variando o cardápio e não enjoa. Ora, se não ligar muito para isso, pode ir na sessão de "clearance" e pegar as comidas por menos da metade do preço normal, porque essas são "ou leva logo ou vai pro lixo". Não, nada estragado, me apresso em adicionar. O que esse pessoal menos quer é um processo por intoxicação alimentar nas costas - isso é uma possibilidade real por essas bandas.
Quer coisa ainda mais barata e não tem preguiça de dar uma andadinha? Simples, é só ir no mercado de New Covent Garden e pegar as comidas do final da feira. De novo, nada estragado. Vegetais, frutas e legumes de qualidade, mas que não vão aparecer no estande no dia seguinte.
Imagino que com a certa disposição, é possível viver praticamente de graça por aqui!
E tem muitas outras coisas que são de graça mesmo: você visita museu de graça, você faz sua carteirinha da British Library de graça, você pode ficar membro da biblioteca do bairro, só provando que você é você, sem desembolsar um tostão. Aí você pode emprestar livros, dvds ou cds (sou membro da de Westminster, que me dá o direito de pedir livros em 12 outras bibliotecas interligadas). E eles te deixam usar até uma hora internet por dia!
Além disso, quase tudo tem desconto para estudante. Apresento meu RA - ops, CU, unicampeiro (que ISIC que nada) e tchum, 10 por cento aqui, tcham, 15 por cento lá. Compro dvds, cds, livros. Poderia comprar eletrônicos na Virgin e HMV se quisesse. Não faz a mínima diferença eu ser estudante de uma universidade que nem da UE é.
E eu sou preguiçoso. Nem fui me cadastrar no meu GP, o médico local que atende a galera do bairro. De graça. Serviço odontológico, idem. Ora, é possível ir no community centre local e ter vários benefícios. Para pais, filhos, desempregados, deficientes, minorias, doentes... sempre tem algo para sua categoria, seja ela qual for. Academia de graça, descontos em transporte público, casas de graça dependendo do caso, incentivo pra isso, incentivo pra aquilo, e por aí vai. Não sei nem da metade dos direitos que se tem por morar aqui - sem precisar ser inglês, diga-se de passagem.
Aliás, por falar em passagem, viajar é baratíssimo. Quer ir pra Varsóvia? 20 libras. Berlin? 12 libras. Eu pago mais no metrô do que em avião.

Mas algo que ainda é preciso pagar é lavar roupa. Hoje fui lavar roupa. Coisa que não faço quase nunca na lavanderia - lavo em casa mesmo, aos poucos. Mas acumulou tanta coisa, minha e da Dani, que tivemos que ir.
Lavanderia é uma dessas coisas que coloco na categoria de choque etnográfico (bem, não pesquiso lavanderias, mas gosto de transformar tudo aqui em reflexão; e todo momento descubro novos segredos reservados apenas aos iniciados e aos locais): é tão particular de uma outra cultura - digo, a lógica do funcionamento - que é ininteligível num primeiro momento (e assustador). Qual máquina usar, que botão apertar, onde colocar o sabão (tenho que trazer o meu?), quando coloco as moedas? Warm wash, complete, linen, stir? Tiro as roupas e coloco no secador? High, middle term, low? Quanto tempo? E as moedas?
E eu fico desesperado, sempre pedindo ajuda aos donos, um casal de indianos que falam exatamente como o Apu. E fico envergonhadíssimo de não saber nem onde esperar, toda hora me pedem para "sentar mais pra lá". Digo dezenas de "I'm sorry" e recebo uns meio-sorrisos "that's ok" e rezo para que a paciência deles dure até eu poder perguntar como faço para colocar uns minutos extras na secagem. E depois sair correndo para casa.
Me pergunte sobre bruxaria zande, mas não sobre que tipo de tecido vai com que tipo de sabão. Porque então o pavor vem.

8 comentários:

Meme-Mariana disse...

Mas qual o preço da lavanderia (a pergunta que não quer calar...)??
Bjs M

Lilás disse...

Lindo, adorei. Pra vc ver: aí até vc que não é inglês pode ter dentista de graça, pega livros, descontos e tals. Aqui vc estuda, aprende línguas, se qualifica pro fucking mercado, se esforça até arrebentar e ganha uma merreca. E ainda por cima tem de pagar plano de saúde. Quer trocar? Te dou minha máquina de lavar.

Cris disse...

Chris querido...dei boas gargalhadas na madruga aqui...adorei a parte da lavanderia...e esse não saber muito bem onde ficar...o que dizer...por aqui é igual...
só troco o "I'm Sorry" por "Pardon"...a todo instante...
se bem que no solo Parisiense nem tudo seja sempre tão simples...a toda hora você não basta dizer "que vc é vc..."
tem que abrir a malinha tirar o passaporte, o registro que tem conta bancária em banco francês, comprovante de que a Capes te manda grana para vc se virar por aqui...que tem um "directeur de thése" -mesmo que você nem veja o cara"...
ah cansa...
ah e no supermercado as comidas não variam muito não...e haja criatividade para inventar misturebas à la mode brésilienne...
rss
beijosssssssssss

Anônimo disse...

Muito bom o texto, todavia, além de tranquilizar, em alguns aspectos, ainda dar conotação de conforto moral e físico. Com pensamento positivo e bastante informação, espero no dia 16 de janeira estar integrando essa comunidade no Reino Unido. Gostaria poder contar com mais algumas dicas! Aqui encaminho meu email, pois prtendo ter um contato mais direto com você, haja vista que farei um intercambio! Muito paz, saúde e sucesso!
abraço


*andre_adm.a@hotmail.com

Invernal disse...

Cara, achei muito legal o que escreveu sobre Londres. Queria saber se ainda mora aí, pois ano que vem vou passar um mês aí, porém depois pretendo ir de vez.
Queria algumas dicas e tal. Se puder me ajudar, por favor, me avise:
iannottingham@msn.com
Valeu

Suy disse...

Chris,
Quem encontrou seu post na net e me enviou foi meu namorado. Estamos nos mudando em junho e rimos muito com o que vc escreveu
Me diz uma coisa. Por acaso você ainda está em Londres?????????
Existe alguma maneira além blog de falar com vc?

Obrigada!!!

meu email
suyan.london@yahoo.co.uk

beatriz disse...

cara,morri de rir com seu post JAKLSJASAKLSAKSAJKSAGHSJGAKSHJ,virei tua fã,sem brinks. aaah um dia vou pra londres,pode ter certeza.

Chris disse...

Obrigado Beatriz! Much appreciated! hehe
Tem mesmo que ir pra lá!! É tudo de bom!
x